Quer economizar imposto de renda? Isso é possível?

O leão vem para todos. No início do ano, a declaração começa a ser uma grande preocupação de parte dos brasileiros, que precisam prestar conta a Receita Federal do que acumularam no ano anterior. Nessa época sempre surge a pergunta, será que tem como economizar no imposto de renda? A resposta é sim!

A importância do planejamento tributário

Primeiramente, não é possível economizar no momento de pagar o imposto. Para ter essa vantagem, é preciso realizar uma série de ações durante todo o ano, através do planejamento tributário.

gestão financeira é uma prática que é bem comum e muito útil. Conhecer o seu fluxo de caixa pessoal, permite planejar o futuro e alcançar os objetivos maiores, ao mesmo tempo que evita dívidas ou problemas com a renda em casos de gastos emergenciais.

Acompanhado deste controle financeiro geral, é fundamental fazer o planejamento tributário, que irá ajudar na redução de custo do imposto de renda. Empregar essas ações durante o ano, pode gerar grande economia no momento da declaração. Para isso, é feita a elisão fiscal.

O que é elisão fiscal?

elisão fiscal é o conceito que irá ajudar a reduzir os custos na declaração. Ele é diferente da evasão fiscal, técnica essa que é mais conhecida, e que configura um crime.

A elisão fiscal tem o mesmo objetivo, porém é feita por mecanismos legais de reduzir o imposto. Empresas usam essa técnica frequentemente, de modo a reduzir o impacto dos impostos, mas a prática ainda é pouco conhecida pelas pessoas físicas.

As técnicas para praticar a elisão fiscal incluem conhecer todas as deduções e isenções que podem ser feitas, saber o modelo de declaração mais vantajoso e outros.

Dicas de para economia no imposto de renda

Por exemplo, para os profissionais autônomos, o livro caixa usado para gestão financeira, também é útil para a dedução de despesas profissionais. Essa é uma ótima forma de diminuir o recolhimento mensal e a alíquota que irá ser paga na declaração do imposto de renda.

Além deste, existem outros tipos de deduções que podem ser feitos. Para o declarante, é possível deduzir despesas médicas, odontológicas, assim como o pagamento de seguro-saúde e planos médicos.

As despesas de educação também podem gerar redução no custo, sejam elas de origem do declarante ou dos seus dependentes.

A lista de deduções inclui também a pensão alimentícia, contribuições para entidades fechadas de previdência complementar, os dependentes e qualquer ganho de capital que seja isento.

Este último ponto é importante para quem os investidores. Neste caso, é preciso conhecer bem a taxa cobrada por cada investimento, além de todos aqueles que são isentos do imposto. Estes, precisam ser declarados, mas não geram custo.

Por isso, é necessário guardar todos os comprovantes do fluxo de caixa pessoal durante o ano.

Também é importante conhecer a melhor forma de fazer a declaração. A opção entre a declaração simples ou completa, também pode ser uma forma de reduzir os custos, escolhendo a opção ideal para a sua situação.

O modelo completo é recomendado para quem tem muitas deduções, porém, o modelo simples pode ser o ideal para quem não tem tantas, já que o desconto base para quem usa essa opção, 20%, é interessante. Ao declarar, o ideal é fazer a conta para ajudar a encontrar a maior redução de custo.

Com essas dicas, você pode começar a se planejar desde agora para economizar no próximo Imposto de Renda!