O Lucro Real pode ser sua economia tributária

As empresas estão sempre procurando novas formas de reduzir os custos. Para quem tem um pouco mais de conhecimento tributário, essa via apresenta ótimas opções de gerar economia, através da redução de imposto. Por exemplo, o Lucro Real pode ser um excelente caminho para reduzir a carga tributária das empresas.

O que é o Lucro Real?

Primeiramente, é preciso entender exatamente o que isso quer dizer.

Lucro Real é um método de tributação que através da apuração do lucro contábil, determina a base de cálculo, que após adições e exclusões é aplicado as alíquotas do Imposto de Renda de Pessoas Jurídicas, o IRPJ, e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, CSLL.

Esse regime costuma ser o padrão para o cálculo do imposto para as empresas, o que significa que se a empresa não deixar claro qual é a sua escolha, essa opção é aplicada ou o imposto poderá ser arbitrado. Para escolher a melhor opção, o planejamento tributário é essencial.

Como funciona o Lucro Real?

Como o nome indica, este modelo de tributação calcula a alíquota do imposto de acordo com o lucro contábil da empresa. Por isso, o primeiro passo é apurar o faturamento da empresa durante o período, deduzindo destes, todos os valores gastos com a sua manutenção, os insumos e com os funcionários. O valor da alíquota é, então, calculado em cima deste resultado.

Esse sistema difere do Lucro Presumido, que simplifica os cálculos, mas a Receita Federal presume qual será o lucro de acordo com a atividade que a empresa exerce. A terceira opção é o Simples Nacional, que é indicado apenas para micro ou pequenas empresas.

Apesar de ser o modelo menos difundido, o Lucro Real pode ser uma forma de redução do imposto.

Como reduzir o imposto com o Lucro Real?

Primeiramente, esta opção é uma forma de tributação mais justa, já que ela é calculada inteiramente em cima do lucro da empresa. É perfeitamente lógico que, quanto mais a empresa ganha, mais ela tenha que pagar de imposto.

Porém, o caminho contrário também é verdade. Se não existe lucro, também não existe incidência do imposto. Essa é a grande vantagem deste modelo para as empresas, permitir uma grande economia, justamente no momento de maior necessidade.

Afinal, ambos os impostos envolvidos nesta opção, o IRPJ e CSLL, são recolhidos apenas se a empresa tiver lucro.

Em casos de lucro é preciso analisar e calcular para encontrar o regime ideal. Evidentemente, um ótimo critério são empresas que irão apresentar um lucro menor do que o que é presumido no modelo alternativo.

Para isso, é fundamental um planejamento tributário e financeiro, de modo a mensurar qual será o lucro ao final do período. Por outro lado, empresas que tem um lucro projetado maior do que presunção, podem optar por este modelo.

Outro fator que contribui para essa escolha são os custos da empresa com insumos e com a folha de pagamento. Se estes valores forem muito grandes, qualquer problema na projeção pode trazer grande impacto nos lucros, significando que o Lucro Real é uma boa opção. Por outro lado, se os gastos com insumos forem baixos, o Lucro Presumido é uma boa alternativa, pois aumenta a possibilidade do lucro ser maior.

O ideal, portanto, é calcular e projetar o melhor regime para a sua empresa, de modo a alcançar a redução de imposto ideal.