Como fazer formação de preços?

Concorrência, custo unitário e análise do público: confira nossas dicas.

Conheça mais como funciona uma boa precificação.

Uma das principais dificuldades que empreendedores e gestores encontram em suas empresas é a formação de preços. Felizmente, o assunto é mais descomplicado que parece: com algumas métricas e entendimento do negócio, é possível encontrar a precificação ideal para o produto e/ou serviço disponibilizado pelo empreendimento.

Mas, para isso, é preciso conhecer os métodos que são utilizados pelas empresas, para que nada saia errado. É pensando nisso que a Astecas, que conta com software de gestão e consultoria através do programa, traz como fazer a formação de preços para o seu negócio. Confira.

Equilíbrio mercadológico
O primeiro ponto a se frisar é: o preço não pode ser muito maior ou menor que o praticado pelo seu segmento de atuação. Aqui, através de uma pesquisa de mercado da concorrência, você analisará os pontos como tempo do negócio, exposição da marca, número de vendas e unidades físicas/digitais da empresa concorrente.

A dica é fazer um diagrama que referencie essas quatro características, colocando cada empresa da concorrência em um quadrante. Conhecendo a sua marca e produtos, localize espacialmente onde ficará o seu negócio. Desta forma, é possível conhecer qual é o preço mais adequado, utilizando da média dos concorrentes mais próximos ao seu.

Custo unitário e margem de lucro
É importante, também, definir qual será sua margem de lucro sobre o produto. Desta forma, você deverá somar o custo da compra bruta, além das despesas fixas (salário, luz, água, estrutura física, entre outros) e das despesas variáveis (como rodagem de estoque e comissões). A partir daí é possível ver a margem de lucro: 50%, 100%, 200%, ou outras. Esta fórmula é conhecida como ponto de equilíbrio e deve estar presente nas rotinas produtivas da sua empresa.

Conhecendo mais sobre a concorrência (como citado no tópico anterior), fica mais fácil definir qual será o lucro real que você terá em relação a determinado produto. Isto ajuda não apenas a definir o preço, mas também a quantidade de estoque necessária para cobrir todas as despesas e, na sequência, ter lucro sobre o que é ofertado.

Análise do público-alvo
Outra métrica amplamente utilizada pelo mercado é conhecer seu público-alvo e, consequentemente, qual será a recorrência de vendas do produto e/ou serviço. Aspectos como número de pessoas, região de abrangência, situação político/econômica do país e/ou localidade e poder de compra efetivo devem estar na ponta do lápis para quem um produto tenha um valor maior ou menor em relação a concorrência.

Perceba que estes dados são mutáveis e sazonais, por isso é importante que você sempre acompanhe o mercado e saiba quais são os interesses e preferências dos seus consumidores. Desta forma, além de achar um preço de acordo com o que oferece, ainda abre possibilidade de aplicar isto de forma dinâmica e automática a novos itens da sua empresa.

Preço justo é o melhor
Nem mais, nem menos. O preço ideal é aquele que está de acordo com a realidade da sua empresa. Investir tempo e paciência neste assunto é primordial para aqueles que querem avançar no seu segmento de atuação. Para que você tenha os melhores resultados, entre em contato com a Astecas e conheça nossos serviços. Além de um software de gestão que ajudará nos processos internos, nossa consultoria fará o melhor por você e sua empresa.