A rotatividade de mão de obra na sua empresa é alto? Cuidado, o preço que se paga é caro

A rotatividade de funcionários em uma empresa é conhecida no mundo corporativo como turnover. Esse é um dos indicadores que os gestores de RH devem acompanhar a cada mês, pois o é capital humano que faz a empresa gerar resultados todos os dias.

Perder um bom colaborador que tenha uma mão de obra qualificada ou até mesmo fortes conexões com seus atuais clientes custa caro. Não somente os custos de rescisão e nova contratação, mas também com todo o tempo de treinamento e adaptação para que esse novo colaborador consiga entregar os mesmos resultados que o funcionário antigo.

A saída de um colaborador envolve a perda de conhecimento e de investimento que foi feito nele durante o período. Quando a empresa possui altas taxas de rotatividade, também enfrenta dificuldades em contratar novos talentos, já que a troca frequente de pessoas é encarada como um sinal negativo.

Tenha sempre o controle do quadro dos seus funcionários. Investir em ações para reter a mão de obra vale sempre mais a pena do que ter gastos com as altas taxas de turnover.

O que é e como calcular o turnover?

O turnover é o índice responsável por medir a taxa de rotatividade na sua empresa. A base para fazer esse cálculo é o número de admissões e rescisões que são feitas no mesmo período.

Há dois tipos de turnover: o voluntário e o involuntário. O primeiro é quando a empresa toma a decisão de desligar o funcionário por algum motivo. O involuntário é quando parte do colaborador o pedido de demissão. Quando você tem muitos casos de desligamentos involuntários, você precisa ligar o alerta vermelho e entender o que está acontecendo. Vamos falar sobre isso mais adiante.

Para calcular o turnover da sua empresa, você precisará dos seguintes dados:

• Número de admissões

• Número de desligamentos

• Número total de funcionários que a empresa possui.

Turnover: Some as admissões e desligamentos e divida por 2. O resultado deve ser dividido pelo número de funcionários total da empresa. Depois, multiplique por 100 para encontrar a taxa de turnover.

Lembramos que esses dados devem ser retirados do controle do quadro do mesmo período. Exemplo, pegue os números de desligamentos e admissões dos últimos 60 dias e a o número de colaboradores que a empresa possui no dia de hoje.

O ideal é que a sua taxa esteja sempre abaixo de 5%. Caso ela não esteja, veja abaixo alguns motivos que podem estar causando isso.

Por que meu turnover está alto?

Há fatores externos e internos que podem fazer com que o seu turnover esteja alto. Os fatores externos não dependem de atitudes da empresa e englobam crises econômicas, políticas, alta demanda de oportunidades na área entre outros.

O que você realmente deve se preocupar são com os fatores internos e que exigem ação e atitudes por parte da empresa. Separamos os três principais fatores que podem levar o funcionário a pedir demissão da empresa:

• Baixa remuneração – ganhar abaixo da média salarial para a vaga ou não receber aumentos de salário com o passar dos anos é desmotivador e um fator decisivo na hora de buscar outro emprego.

• Má contratação – o custo da má contratação é caro e pode aumentar muito a taxa de turnover. Faça processos seletivos inteligentes, objetivos e eficientes para contratar os talentos certos para a vaga.

• Ambiente de trabalho desagradável – passamos muitas horas do dia trabalhando e não há nada pior do que ficar em um ambiente com pessoas que não nos sentimos bem. Além disso, pode acontecer de o colaborador não ter bom relacionamento com o chefe, o que também torna o ambiente de trabalho muito ruim.

• Falta de reconhecimento por parte da empresa ou gestor – a sua empresa tem políticas de reconhecimento ou treina os líderes sobre a importância desse assunto dentro do mundo corporativo?

Agora que você sabe que custa caro ter alta rotatividade, está na hora de investir em formas de fazer melhores contratações e depois em ações para reter o seu colaborador. Para acessar mais conteúdos como este, acesse nosso blog!